Tempo de leitura 4 minutos

Aos 16 anos, tudo que Marcelo Golfieri queria era pagar por suas aulas de instruções de voo. Hoje, é proprietário de uma das maiores rede de buffets do país. Sua paixão pela aeronáutica não morreu mas foi transformada na rede Cata-Vento.

Em entrevista à Oniplataforma, Marcelo contou como se tornou um dos maiores empresários do ramo de festa do Brasil e como surgiu a ideia de um aplicativo para festa compartilhada.

Como sua carreira de festeiro começou?

Sempre tive o sonho de voar. Aos 16 anos, comecei a fazer as primeiras aulas de instrução de voo, para isso trabalhava como entregador em um supermercado e vendia pipas. Mas, como o ganho era baixo resolvi me arriscar na carreira da música, pensava que como popstar poderia ganhar dinheiro suficiente para bancar o curso. Comprei um equipamento de som e também passei a estudar bateria. Eu tocava todos os fins de semana e também alugava meu equipamento de som. Foi aí que surgiu a ideia de fazer um karaokê infantil e passei a alugar o equipamento para festas de crianças em casas e salões. Aos 18 anos, conheci a minha esposa que na época estava fazendo curso de decoração para festas infantis. Juntamos os esforços e passamos a oferecer o karaokê infantil junto com a decoração e foi assim que surgiu o que seria um buffet infantil. Logo depois, meu pai disponibilizou um imóvel que ele tinha comprado, com isso passamos a oferecer o karaokê, a decoração e o espaço.

Como você avalia o desenvolvimento do mercado de festas ao longo da sua carreira?

O mercado no início era caseiro, não existiam muitas opções de brinquedos. As únicas opções eram os importados, que tinham preços altos. As festas, em sua maioria, eram realizadas em salões de clubes e prédios e sempre se resumiam a decoração e comida. Com a criação de espaços específicos para festas, o mercado foi crescendo, novos buffets surgiram e isto fez com que se desenvolvesse uma indústria de brinquedos direcionados para estes espaços. O mercado ainda é um formado por empresas de primeira geração mas, vem se profissionalizando e se organizando como categoria ao longo destes anos. O setor teve um boom no início de 2000 e hoje sofre por conta das crises. É preciso se reinventar.

E como a rede Cata-Vento tem se mantido em meio a essa crise?

Quando o número de festas começou a cair verificamos que o principal motivo era justamente a falta de boas perspectivas dos nossos clientes para o futuro. Além disso, eles consideravam o valor alto. Assim, ficou claro que teríamos que reduzir o custo da festa. Mas, todas nossas tentativas impactavam diretamente na qualidade dos nossos serviços e não queríamos que acontecesse isso. Após várias noites pensando e analisando cada detalhe das festas que já realizamos surgiu uma ideia que julguei inovadora: a festa compartilhada.

Festa compartilhada? Como funciona?

Hoje em dia, os buffets possuem espaços que comportam 100, 200 ou até 450 pessoas mas a grande maioria das festas é geralmente para 50 pessoas. Se fossemos adequar nossos espaços para atender somente festas de 50, teríamos que abrir mãos de equipamentos de parque como os eletromecânicos que fazem tanto sucesso. Por outro lado, se colocássemos mais pessoas em nossas unidades este custo seria rateado. Mas como fazer com que uma pessoa suba o número de convidados de 50 para 100, 200? A resposta mais simples é fazer mais de uma festa ao mesmo tempo. Assim, com o aumento do número de pessoas temos o ganho em escala e nos aproximamos cada vez mais de nossa capacidade ideal e o efeito colateral disso é que conseguimos entregar festas na mesma qualidade que sempre trabalhamos ou até melhores. Salões mais cheios e clientes pagando menos, a receita ideal para se combater um cenário de crise.

Que demais! O Caê também me disse que essa ideia deve se tornar um aplicativo. É verdade?

Percebemos que outros buffets também sofriam com mau aproveitamento do espaço. Foi então que surgiu a ideia de transformar a nossa ideia em um aplicativo e oferecer esta solução aos donos de buffets e de salões de festas e também à quem procura por este tipo de serviço. Assim, todos irão se beneficiar com os descontos e seguramente as festas serão muito mais legais e inteligentes.

Legal! Ele já está disponível?

Depois de decidirmos criar o aplicativo resolvemos colocá-lo a prova e por isso nos inscrevemos em um concurso realizado pelo Sebrae e ganhamos o primeiro lugar. Em seguida, participamos do Safira Labs e conseguimos nos classificar junto com mais quatro startups em um programa de aceleração e mentoria de um ano. O aplicativo está em fase final e nossa meta é começar os testes de produção no início de março. Nossa meta é que ele comece a ser disponibilizado para alguns clientes ainda neste primeiro semestre. O cliente poderá se cadastrar, informar as datas ou períodos escolhidos para a realização da festa e o aplicativo irá indicar os salões disponíveis e os pares interessados na mesma data e também irá gerenciar a contratação de serviços opcionais como mágicos, palhaços, shows e diversos serviços que estarão disponíveis.

Que ótima notícia. Tenho certeza que será um sucesso! Agora me conta, qual a chave do sucesso para quem está começando?

Meu conselho para quem está começando é que planeje bem seu empreendimento e que dedique várias horas de seu trabalho às pesquisas e planejamento. Hoje sei bem o quanto isso é primordial para o sucesso e também para minimizar os riscos que os empreendedorismo possui. Planejamento e a busca por informações são essenciais para qualquer empreendedor em início de carreira.

E para quem tem alma de empreendedor, quais livros você indica?

O livro que realmente fez com que eu mudasse a minha visão como empreendedor foi Pai Rico, Pai Pobre´, de Robert Kiyosaki e Sharon L. Lechter. Eu coloco como leitura obrigatória para quem quer se aventurar como empreendedor. Outro que tão bom quanto é Sonho Grande, de Cristina Correia. Estes dois livros tem o poder de mudar nosso mindset e nos inspirar a vencer como empreendedores.

Nada melhor do que alcançar voos altos, como Marcelo Golfieri, e ter sucesso como empreendedor. E a Oni está aqui para te ajudar! Acesse nosso blog e aprenda ainda mais sobre gestão de buffet e dê um up no seu negócio e não deixe de curtir a nossa Fanpage e o nosso Instagram!

Ericka Araújo

About Ericka Araújo

Jornalista apaixonada por séries, filmes, café e uma boa prosa. Quando não está escrevendo, está comendo e, as vezes faz as duas coisas ao mesmo tempo.

Leave a Reply