Tempo de leitura 5 minutos

Tenho certeza que você está não aguenta mais ouvir sobre o coronavírus e que também está sofrendo com o impacto que esta pandemia causou no seu buffet ou na sua casa de festas.

Há dias estou conversando com empreendedores, donos e proprietárias de buffers para entender o tamanho do prejuízo e como eles têm lidado com este momento. O resultado? Experiências e dicas incríveis que tenho certeza que vão te inspirar!

Histórias para inspirar

“Quando veio o fechamento das casas de festas, a princípio, fiquei paralisada. Após quatro dias eu me perguntei: O que vou fazer?”. Essa foi o desabafo da Patrícia Maia, proprietária da Oficina de festas e cliente da Oniplataforma.

Assim como você, ela foi pega de surpresa com a determinação da quarentena social devido à pandemia da Covid-19. Afinal, ninguém estava preparado!

Mas, em meio a toda essa loucura, Patrícia encontrou uma forma de lidar com a crise. Na primeira semana de casa fechada, ela teve a ideia de liquidar seu estoque.

Ela anunciou para amigos e familiares e conseguiu vender todo o estoque que tinha armazenado para a realização de quatro festas contratadas que acabaram sendo canceladas.

Após zerar seu estoque veio de novo a dúvida: o que fazer? A resposta só veio no finalzinho de março, quando ela teve a ideia de fazer empratados para vender.

“Eu já fazia escondinho camarão, empadão de frango e outros empratados também. Então, decidi transformar tudo isso em pratos nos tamanhos P, M e G, comecei a divulgar e teve uma ótima aceitação”, conta Patrícia.

A ideia dela teve um ótimo resultado. “Aqui em Vila Velha (ES), na semana da Páscoa, temos a tradição de comer a torta capixaba e eu consegui vender um quilo de torta por R$ 80. Com isso, só na véspera do feriado da Sexta-Feira Santa, faturei R$ 3 mil com a venda de empratados e de tortas Capixabas”, conta super feliz.

Com o sucesso das vendas, Patrícia já está planejando novas atividades para seu espaço, já que por conta da pandemia ainda não pode abrir o seu espaço para festas.

“Com tudo que vem acontecendo vou começar a trabalhar com o segmento de delivery. Estou buscando informações sobre como vender, também me informando sobre aplicativos de entrega de comida, como Ifood e Uber Eats, além de um sistema para implantar na empresa para gerir os pedidos. Se eu continuar com o buffet, o serviço de entrega será meu segundo segmento e tenho certeza que serve para muitos outros buffets”, encoraja Patrícia.

Patrícia não é a única que usou a imaginação e a criatividade para lidar com a crise. Em Hortolândia (SP), os donos do Espaço Arruaça, Serginho e Cynthia, também encontraram uma maneira de reduzir as perdas financeiras durante a quarentena.

Segundo Serginho, a crise afetou o fluxo de caixa e seus recursos foram se esgotando com a falta de realização de festas. A saída era encontrar alternativas de receitas.

Após pensarem no que poderiam fazer, resolveram unir o amor pela cozinha e o reconhecimento dos pratos que serviram à amigos e familiares.

“Minha esposa é apaixonada por cozinhar e ela pensou: ‘Por que eu não faço para as pessoas aquilo que gosto de fazer?’. Resolvemos cozinhar para nossos amigos e familiares, e a aceitação foi de 100%”, conta Serginho.

Na primeira semana, o casal fez massas, lasanha, escondidinho de camarão e teve uma ótima aceitação. Na semana seguinte tiveram a ideia de lançar a feijoada, com todos os adereços: farinha, vinagrete, couve e laranja.

O resultado? O Serginho conta: “Nosso objetivo era comercializar 30 unidades de feijoada a R$ 35 com taxa de entrega. Tivemos uma supressa, chegamos a fazer 40 feijoadas. Tivemos um lucro de aproximadamente 60%. Foi um sucesso e o bem maior desse trabalho, é você sair do estado de incapacidade de fazer as coisas, que deixa a gente emocionalmente triste, apático”.

Os planos do casal estão indo de vento em popa. “Semana que vem, faremos outra campanha e já estamos estudando como vamos organizar o nosso delivery. Queremos aproveitar esta oportunidade para os dias mais ociosos e ocupar a nossa estrutura e termos uma renda extra que é importante. Ela que veio como uma oportunidade criada em meio a essa pandemia do coronavírus”, conta Serginho.

Use bem o tempo

Duante o isolamento social é fundamental que cuidemos da nossa saúde física e psicológica. Assim como nós, o nosso negócio precisa de cuidados também!

Essa época de distanciamento e, consequentemente, não realização de festa é uma ótima oportunidade para estreitar o relacionamento com clientes e redefinir estratégias do seu buffet.

Para te ajudar com esta tarefa, segue algumas dicas:

Estreite o vínculo com sua equipe

A união da equipe é fundamental para o sucesso do negócio em qualquer momento. Por isso reavalie como está seu relacionamento com sua equipe. Feito isso, siga alguns passos:

  • coloque-se ao lado da equipe: deixe claro que todo o bom desempenho do seu buffet depende da colaboração de todos;
  • escute sua equipe e compartilhe informações: seja transparente com seus colaboradores, neste momento isso é fundamental para não causar desespero e insegurança;
  • dê feedback: as pessoas gostam de saber como estão se saindo em suas atividades, por isso converse com elas e oriente-as para o melhor aproveitamento do tempo.

Fortaleça o relacionamento com fornecedores

Em tempos difíceis é fundamental estabelecer novas estratégias, seja com parceiros ou fornecedores, e planejar campanhas e promoções para alavancar os negócios apos a quarentena.

Com a correria da rotina de festas, este ponto tão importante acaba passando desapercebido. Agora é o momento de fazer isso, já tem tempo é o que não falta né?!

Para isso, converse com seus fornecedores para juntos encontrarem soluções para reduzir o impacto financeiro em suas empresas.

Tente negociar prazos para pagamento de aluguel, para entrega de materiais e também pensar em formas de trabalharem juntos para encontrar alternativas de receitas financeiras.

Fidelize sua clientela

É importante mostrar para os seus clientes que está ativo, mesmo que virtualmente, durante a quarentena. Lembre-se: Você não pode ser esquecido!

Por isso, você deve manter uma frequência de publicações nas redes sociais. Isso é o que vai fazer com que seu negócio seja lembrado pelos clientes, o que será fundamental no momento que a crise passar.

Durante as negociações de adiamento, entenda o lado do seu cliente e se coloque no lugar dele. Mas aproveite também, para mostrar um pouco do seu lado nessas publicações.

Não é apelar para o emocional, mas contar também com uma solidariedade da outra parte, afinal, todos estão sendo afetados por essa crise. Segue um exemplo:

“O adiamento de festas é totalmente compreensível por todos. Fazendo isso, você ajuda quem trabalha e vive de festas. O cancelamento prejudica a todos do mercado de festas! Não cancele, remarque!”
Para ter outras ideias, siga a #naocanceleremarque no Instagram para ver como os outros negócios estão agindo durante a pandemia.

Use o tempo para estudar

Aproveite este tempo de isolamento de maneira mais produtiva, faça cursos. Várias universidades e plataformas educacionais liberaram cursos online gratuitos. Só vai!

Separei alguns, mas você pode encontrar muitos mais:

Além dos cursos online, você também pode dedicar seu tempo a leitura. Recomendo alguns livros:

  • Armas da persuasão – Robert Cialdini
  • Pense simples – Gustavo Caetano
  • Estratégia do Oceano Azul – W. Chan Kim e Renée Mauborgne
  • Receita previsível – Aaron Ross e Marylou Tyler
  • Marketing 3.0 – Philip Kotler

Espero que estas histórias te inspire e te ajude a usar a criatividade neste momento tão decisivo. Também desejo que as dicas ajudem você a se fortalecer e sair desta crise bem mais forte!

E se quiser mais dicas para ajudar na gerenciamento do seu buffet ou casa de festas, acesse nosso blog!

Ericka Araújo

About Ericka Araújo

Jornalista apaixonada por séries, filmes, café e uma boa prosa. Quando não está escrevendo, está comendo e, as vezes faz as duas coisas ao mesmo tempo.

2 Comments

  • Renata Peixoto disse:

    Eu também descobri um outro negócio, como oportunidade dentro do meu buffet. Temos uma oficina interna para produzir nossos cenários e aí começamos a fazer sapateiras de porta, porta livros, porta celular ou tablet, utensílios de madeira, q são soluções para quem está muito tempo em casa. Sucesso já vendemos mais de 150 peças.

Leave a Reply