Tempo de leitura 4 minutos

Sabemos que a realidade econômica do país não está entre as melhores.

Aliás, com a pandemia do novo coronavírus, diversos setores da economia ainda seguem lutando para se reerguer, enquanto outros, já até sentem uma mudança positiva. 

Além disso, como também se tem conhecimento, o estado de São Paulo retornou à fase amarela de flexibilização da quarentena. Agora, as restrições mais severas, para preservar a saúde, voltam a nos fazer companhia. 

E, claro, junto com as restrições e normas exigidas pela Vigilância em Saúde, vêm as preocupações com a parte financeira. Como continuar trabalhando? Será que meu negócio vai cair?

Por isso, para o post de hoje, a Oni trouxe a Aline Alcantara Alves Pedroso, empresária e proprietária da empresa do setor de festas Lica Decorações.

Vem com a gente entender um pouco mais sobre as estratégias e dicas da Aline!

A empresa de festas foi uma das primeiras a sofrer com a pandemia do novo coronavírus. “As pessoas ficaram com muito medo logo no início da quarentena e 90% das festas foram canceladas”, afirmou a empresária.

Com a chegada impactante e indesejada da doença, o principal medo era sair e se deparar com uma higienização precária.

Segundo Aline Alcantara, com o choque logo na primeira semana de quarentena, os próprios profissionais do setor de decorações, apreensivos e sem conhecimento sobre a Covid-19 e seu desenvolvimento, estavam com medo de contaminarem clientes por não saberem ao certo como higienizar seus objetos de trabalho.

Para a empresária de decorações, de março a julho deste ano, as coisas se complicaram e foi um momento extremamente difícil. Em razão disso, foi necessária a junção de mudanças com novas ideias para, então, seguir em busca da movimentação de clientes. 

“Muitos clientes quiseram comemorar em suas casas, mas tinham esse medo da contaminação, ou seja, de a decoração levar algum risco para as casas. Então, tivemos parcerias em aniversários infantis, onde as mães organizavam as festas em casa, mas, ao invés de alugarem dez peças de nossos produtos, alugavam apenas uma. Então, por este motivo, o número de clientes e de contratos diminuiu drasticamente”, acrescenta ela. 

Além de toda a preocupação com a falta de contratações de clientes, a negociação entre a empresária e seus fornecedores, funcionários, aluguéis e contas, foi indispensável. 

“Eu conversei com o proprietário do imóvel para negociar o aluguel, então, conseguimos um desconto; dispensei funcionárias, que ficaram afastadas pelo governo, com o auxílio emergencial; e eu fiquei trabalhando sozinha durante três meses”, conta a proprietária da Lica Decorações. 

Para enfrentar e seguir lutando dentro da nova realidade pandêmica, a Lica Decorações carregou o seguinte bordão motivacional: “um bolinho não precisa ser só um bolinho”.

Então, foi a partir deste pensamento que a empresa mostrou às mães que é possível comemorar uma data de aniversário importante alugando uma ou duas peças de decoração, como uma de bolo e dois personagens infantis, por exemplo.

Então, para a empresa, o “passar em branco” apenas piora a nossa vida, que já anda preocupante e difícil, principalmente a das crianças, que não entendem ainda o que está acontecendo e a pandemia que estamos enfrentando.

“O foco foram as comemorações menores entre famílias nas suas casas. Fizemos parcerias com boleiros também, para conseguir atender o nosso público, para que os doces e os bolos fossem proporcionais ao número de pessoas da família”, disse a empresária. 

Aline também acredita que o setor de decorações foi o mais afetado desde o início da pandemia, começando em março, logo que as festas foram canceladas e os buffets fechados.

Para a retomada segura, a empresa está tomando todos os cuidados. “Foi adotado o frete para levar e trazer peças, que antes não era usado, e, dentro da loja, todos os funcionários usam máscaras e esterilizam peças com álcool 70%, além de outras questões de segurança para, quando os buffets voltarem, o ramo decolar novamente”, explica a empresária. 

Por mais que a fase difícil ainda não tenha passado, a fase verde do Plano São Paulo trouxe algumas melhorias. Com a volta de algumas atividades, os pais ficaram mais confortáveis de comemorar em casa, então, as funcionárias da Lica retornaram ao trabalho organizando festas menores, com novas parcerias, para vender as decorações.

“A fase verde nos proporcionou uma melhora significativa, até porque, com esta fase, alguns buffets retomaram atividades com festas agendadas, então, percebemos uma calma entre as pessoas e o setor se aqueceu um pouco”, afirmou Aline. 

A empresária ainda explica que a inovação foi de extrema importância para a sustentação da Lica Decorações. Como o planejamento mensal é complicado para a empresa, atualmente, pelo fato de as pessoas irem de um dia para o outro buscar peças para festas, são fornecidos descontos, além de a empresa mostrar suas novidades e agilidades para os pais, tentando atrair o cliente com as novas ideias.

“Agora, os contratos são fechados praticamente um dia antes da comemoração e, antes da Covid-19, muitos clientes fechavam com a gente com meses de antecedência”, afirma a Lica Decorações. 

Por fim, devemos focar e ter esperanças na retomada pós-pandemia. Segundo a empresa de decorações, as coisas têm melhorado gradativamente, mas, claro, que ainda não se tem o mesmo movimento da normalidade sem a pandemia.

Segundo Aline: “Os clientes estão voltando e nós estamos tendo um bom atendimento pelo WhatsApp, então, o cliente não precisa ir até a loja para escolher a sua decoração, ele pode conseguir todo o serviço por meio do aplicativo, com a nossa assessoria, respeitando assim, o isolamento social, para que as coisas caminhem ao normal”.

Dica da Lica Decorações para atuantes na área de decorações:

Não desistam, não está sendo fácil para ninguém. Tente negociar as dívidas que você tiver. As pessoas sabem que o setor de festas está sendo muito afetado, então, tente inovar e bolar algo diferente para que você venda seu produto e consiga mostrar ao cliente que vale a pena investir no seu trabalho.

Giovanna Giuga

About Giovanna Giuga

Graduanda em jornalismo pela PUC-Campinas, atualmente no 3º ano. A poucos passos para o fim da faculdade, segue comunicativa e em busca de boas histórias.

Leave a Reply