Tempo de leitura 5 minutos

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, diversos setores da economia tiveram de frear suas atividades para evitar a disseminação da doença.

Mas, claro, sem perder as esperanças de que logo tudo voltaria à normalidade.

Pois bem, o tempo foi passando e as expectativas para uma retomada gradual foram se tornando cada vez mais instáveis. 

Agora, com várias cidades na fase verde, diversos eventos com público em pé estão liberados depois de passados 28 dias da entrada neste estágio.

A boa notícia, claro, alegra empresas de casas de eventos e buffets, mas, como proceder para seguir com segurança nas festas? 

Para te ajudar, este post vai dar dicas de como fortalecer seu negócio enfrentando os desafios pós-pandemia.

Para isso, a Oni conversou com a infectologista Noelle Miotto do Hospital PUC-Campinas, que trouxe 10 dicas de como lidar com a nova realidade com segurança. 

Afinal, a nossa festa não pode parar! Continua aqui com a gente e se liga nas dicas!

1) Tenha o aval da vigilância sanitária e epidemiológica local

É muito importante ter conhecimento sobre a situação epidemiológica da sua cidade e ter o aval da vigilância sanitária local.

Após a liberação, medidas de distanciamento entre as pessoas devem ser seguidas dentro do buffet.

Além disso, a empresa deve ter a quantidade de funcionários necessária para realizar reposições, servir os convidados, oferecer boa limpeza das mesas e cadeiras, além de, claro, disponibilizar álcool em gel 70% para todos do evento.

2) A higienização deve ser constantemente feita

A higienização de qualquer ambiente da casa de festas, que seja frequentado por pessoas, no atual momento epidemiológico, deve ser frequente. 

O correto é que seja feita a cada uma hora, para garantir a segurança de todos. 

Além dos ambientes, lugares que são muito tocados pelas pessoas como mesas e cadeiras do buffet, devem ser limpos a cada troca de grupos de pessoas na mesa. 

3) Festas infantis precisam de mais cuidados

Sabemos que festas de crianças são bem agitadas. As crianças brincam juntas, correm, e interagem o tempo todo. 

Muitas vezes a festa infantil inclui brinquedos, o que favorece a interação entre os pequenos e, certamente, essa troca não é tão segura no atual momento.

Para que a festa não seja impedida de acontecer, é super importante que haja uma limpeza constante de todas as superfícies tocadas pelas crianças.

Além disso, se o buffet conseguir profissionais que criem brincadeiras que garantam um maior distanciamento social entre as crianças, melhor!

4) Medidas de proteção individual não podem ser deixadas de lado

Mesmo estando na fase verde do plano São Paulo de flexibilização da quarentena, as medidas de proteção individual ainda são necessárias.

Desde o início da pandemia, o decreto estadual obriga o uso de máscara facial ao sair de casa, então, não devemos esquecer os cuidados ao manusear nossas máscaras.

Pode parecer um assunto óbvio para muita gente, mas, as seguintes recomendações são importantes: 

  • evite tocar na parte da frente da sua máscara, exposta ao ar livre; 
  • segure apenas pelas tiras laterais;
  • lembre-se, troque sempre a sua proteção individual.

Preste atenção na máscara da criança. Se estiver suja ou úmida, já é hora de trocar. 

É claro que também temos que continuar higienizando nossas mãos. Quando estiver no buffet, lembre-se de lavar as mãos com água e sabão antes de comer, ao usar o banheiro e sempre que andar de um ambiente para outro.

Lave as mãos das crianças frequentemente, já que elas sempre estão em contato com várias superfícies. Após lavar, reforce a higiene com álcool em gel.

5) Avalie se você tem recursos necessários para a retomada no buffet

Como já dito, a primeira orientação para a retomada segura é analisar a liberação da atividade por parte da vigilância.

A vigilância sanitária é o órgão máximo de cada município que permite, ou não, a volta das atividades com base na situação epidemiológica local.

A segunda questão, também de extrema relevância, é avaliar se a empresa de eventos possui pessoal suficiente para trabalhar.

Se pararmos para pensar que a limpeza do buffet vai demandar mais trabalho, já que deve ser constantemente reforçada, consequentemente, é preciso mais funcionários para fazer o serviço.

Por conta disso, o RH deve contratar pessoas que estejam saudáveis e que não tenham tido sintomas gripais nos últimos dez dias. 

Os colaboradores com contato direto com o público não podem residir com pessoas que sejam sintomáticas.

Vale lembrar que funcionários que pertençam ao grupo de risco da Covid-19, ou tenham contato com quem seja deste grupo, não devem trabalhar de forma presencial.

Os grupos de risco integram:

  • portadores de doenças crônicas descompensadas;
  • gestantes de auto risco;
  • mulheres no puerpério;
  • idosos; 
  • entre outros casos que se enquadram nos grupos de risco.

Além disso, antes de iniciar o cronograma de eventos no seu buffet, todos os colaboradores devem receber um treinamento para lidar com a nova realidade diária.

É importante que saibam como fazer uma higienização correta, tanto pessoal, como da casa de festas, além de saber utilizar os EPIs da maneira certa.

Pode parecer exagero, mas, o cuidado para evitar a disseminação do vírus nunca é demais!

6) Mantenha o distanciamento social

Lembrem-se, ainda não estamos livres da Covid-19! 

Ainda é muito necessário que se mantenha o distanciamento social de pelo menos 1 metro de distância entre as pessoas.

7) Quanto mais cuidado, melhor

A empresa de eventos sempre deve seguir as recomendações da vigilância epidemiológica local.

É muito rara a ocasião em que essa opinião difere das orientações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), mas, quando difere, geralmente é porque se colocam recomendações a mais, com maiores precauções.

8) Se tiver sintomas gripais, não saia de casa

A pessoa convidada para a festa que esteja com qualquer sintoma de doença, seja de Covid-19 ou não, não deve comparecer ao buffet.

Mas, se os sintomas se manifestarem durante as horas de festa, a pessoa deve retirar-se da festa. 

Além disso, cada buffet deve ter um protocolo de comunicação estabelecido para que o ocorrido seja informado ao coordenador do evento ou anfitrião.

Essa comunicação é importante porque, se eventualmente ocorre um surto após a festa, a organização do buffet precisa informar a vigilância epidemiológica local sobre o horário da festa, quem se sentiu mal, quais pessoas estiveram mais próximas, entre outras questões.

9) Medição de temperatura antes da festa

O controle de temperatura está sendo utilizado por vários estabelecimentos. Novamente, essa medida de prevenção ocorre conforme as determinações locais de cada vigilância epidemiológica.

De acordo com a infectologista Noelle, “a medição de temperatura é uma medida pontual e limitada, já que ela só impede que uma pessoa com febre entre em determinado local”.

Em 30% dos casos de coronavírus, as pessoas não apresentam elevação de temperatura.

10) Supervisione seu evento para que tudo corra bem

É importante que cada buffet tenha um coordenador que supervisione a festa para evitar que os convidados se aglomerem, além de garantir a higiene local do ambiente.

Além disso, se algo estiver sendo vendido dentro da festa, é recomendado evitar o manuseio de dinheiro, já que as notas são superfícies que não conseguimos higienizar.

Então, em caso de vendas, os buffets devem dar a opção de pagamentos via cartão e, uma opção mais segura ainda, por transferência bancária.

Lembrando que a maquininha de cartão deve ser higienizada antes e após cada uso, sendo importante que só manipule o cartão o próprio portador do cartão e nenhuma outra pessoa. 

Prontinho, agora você já tem em mãos tudo que precisa saber para voltar à ativa com seu buffet!

Fica de olho que logo tem conteúdo novo por aqui e, claro, a Oni te ajuda a tornar seu negócio mais produtivo, eficiente, seguro, além de visar o alcance de novos clientes. 

Giovanna Giuga

About Giovanna Giuga

Graduanda em jornalismo pela PUC-Campinas, atualmente no 3º ano. A poucos passos para o fim da faculdade, segue comunicativa e em busca de boas histórias.

One Comment

Leave a Reply